Pular para o conteúdo principal

Postagens

"O Justo Viverá pela Fé": Como entender o estopim da reforma?

   A narrativa básica da reforma protestante é simples e poderosa, bem resumida na seguinte estrofe de “Tese 95”:  Mas à luz de velas um homem lê Que o justo viverá pela fé É, o justo viverá É, o justo viverá pela fé É, o justo viverá  — Tese 95, João Manô  Em outras palavras: Certo dia, o Espírito Santo iluminou Martinho Lutero enquanto ele lia Romanos 1:17 de modo que ele percebeu que a salvação que Deus garante não é baseada nas obras nem nos méritos, mas é dada gratuitamente, pela fé nEle. A questão que fica é: Paulo faz um bom uso de Habacuque quando ele cita Hc 2:4 como base dessa justificação pela fé? Bom, é claro, ele é um apóstolo de Cristo, um mensageiro fiel da verdade – mas será que podemos entender esse versículo da mesma forma que ele, simplesmente lendo o texto em seu contexto? Eu creio que sim.  Para isso, vamos seguir o raciocínio do texto:  No capítulo 1, Habacuque questiona o Senhor sobre a pecaminosidade de Judá, e a resposta de Deus estabelece que Ele está enviando
Postagens recentes

J. abala céu e chão | Josué 6:1-20

   J. foi escolhido por Deus como o líder do Seu povo na conquista de Canaã, a terra prometida. Tarefa difícil, mas o Senhor esteve com Ele. E de fato, não era só garantir a própria terra: ele também seria o instrumento de Deus para trazer o juízo àqueles povos pecadores que moravam naquela terra. Hoje aguardamos um juízo final, mas naquela época, para os cananeus, já estava acontecendo uma prévia, um juízo imediato, e J. era o líder nessa missão.   Nesse contexto, entrando na terra prometida, encontramos o texto de hoje: Josué 6:1–20. Basta seguir o plano    Jericó, uma cidade fortificada, cercada por muros, bem protegida contra os invasores. 1. Ora, Jericó estava rigorosamente fechada por causa dos filhos de Israel; ninguém saía, nem entrava.  No entanto, nosso Deus, bem humorado e, com razão, otimista, olha bem para a forte muralha e diz a J.: 2. Então o Senhor disse a Josué: — Olhe! Estou entregando em suas mãos a cidade de Jericó, o seu rei e os seus valentes.  Em seguida, dá a

O Infinito, de Giacomo Leopardi | Tradução de Poema

O Infinito        Sempre caro me foi este morro só        E esta cerca, que em tantas partes suas        O último horizonte ver me nega.        Mas sentado e observando, interminados 5     Espaços para lá, sobrehumanos         Silêncios, e profunda quietude        Eu, na mente, formo; onde por bem pouco        Meu coração não assusta. E como logo        Ouço o vento soprar entre estas plantas 10   Aquele infinito silêncio à ouvida        Voz vou comparando: e me vem o eterno,        E as estações mortas, e esta presente        E viva, e o som dela. Assim por entre esta        Imensidão se perde a minha mente: 15   E o naufragar me é doce neste mar.   ~ Giacomo Leopardi (1798-1837) [Tradução minha] Comentário  Giacomo Leopardi foi um poeta culto demais para a sua cidade. Morando em uma pequena vila da Itália, conforme diz o primeiro verso, “gostava de se sentar em uma colina solitária” (1). Ali, sozinho, não tinha uma visão privilegiada da cidade, como seria de se esperar; pelo contrá

Um Coração para Jesus | Mc 7:1-23

 O seu coração não é fofo, mas vamos tratar disso daqui a pouco.  Antes, é preciso saber: afinal, do que é que a Bíblia fala quando fala de “coração”?   Uma forma simples de se entender é lembrar de que o susto, o amor e a empolgação sempre têm um mesmo efeito — acelerar o coração dentro do peito. Sendo assim, não é estranho pensar que as nossas ideias e emoções estejam relacionadas a esse órgão. É o coração que te mantém vivo, e também é ele que é afetado com tudo que você quer, pensa e faz. Assim, a Bíblia usa o coração como um símbolo para falar de quem você é. As árvores têm sementes; o homem tem um coração.  Com essa introdução em mente, podemos ler a Palavra do Senhor: Mc 7:1-23  1 Os fariseus e alguns escribas, vindos de Jerusalém, reuniram-se em volta de Jesus. 2 Eles viram que alguns dos discípulos de Jesus comiam pão com as mãos impuras, isto é, sem lavar. 3 Porque os fariseus e todos os judeus, observando a tradição dos anciãos, não comem sem lavar cuidadosamente as mãos. 4